Os brasileiros confiam nas notícias e os números que vem da Espanha

O Brasil é o segundo país onde os usuários de internet mais confiam nos meios de comunicação, com 60% de confiança. O líder é a Finlândia com 62%. Os números são do Reuters Institute Digital News Report 2017, um estudo feito pela Universidade de Oxford com 72 mil pessoas em 36 países e foi usado como base para o Digital News Report 2017 Espanha, produzido por pesquisadores do Center for Internet Studies and Digital Life da Faculdade de Comunicação da Universidade de Navarra, publicado nesta quinta-feira (22).

Os números detalhados da Espanha apontam para um crescimento do consumo de notícias pela internet e também um aumento da confiança nas notícias, com 51%, 9% a menos que o Brasil. Mas outros dados apresentados servem de alerta não apenas para a imprensa espanhola, mas para todo o mundo. O desinteresse dos jovens pelas notícias, a resistência ao conteúdo pago na internet, a força dos móveis e a queda livre dos impressos já eram esperados e estão provados no relatório.

O Digital News Report 2017 Espanha você confere AQUI. Veja abaixo, alguns números interessantes do relatório:

50%

dos entrevistados afirmaram que evitaram ler notícias por diversas razões

53%

do público digital não paga NADA para se informar (em meio nenhum) e apenas

9%

pagou por conteúdo digital em 2016.  e já

57%

acha muito improvável que vá pagar alguma informação digital em 2017.

Entre os que pagam

39%

contrataram uma assinatura digital, contra 38% de uma assinatura que inclui outros serviços

e apenas

14%

fez algum tipo de doação sem assinatura para um serviço de informação digital. Leitores de blogs e redes sociais são os que possuem menor disposição para pagar pela informação, comparado aos que são informados mais por meios impressos, rádio, TV e outros digitais.

E o motivo principal para as pessoas não pagarem por conteúdo é óbvio: para

55%

o motivo é a facilidade para conseguir as notícias gratuitamente.

Além de não pagarem, os usuários estão impedindo que a publicidade apareça nos portais de notícias com

28%

afirmando que usa os “ad blocks”. Quando o público se restringe dos 18 a0s 24, o número de usuários com bloqueadores sobe para 47%.

A televisão é ainda o meio favorito para se informar com

42%

da preferência. A internet vem em segundo com 39%.

Entre os jovens, a internet já lidera a preferência com

61%

contra 27% da televisão tradicional. Só as redes sociais e blogs possuem 33%

Observações:

Além do dado que o Brasil é um dos países com maior confiança online nos meios de comunicação (aquele seu amigo revoltado vive numa bolha) destaca-se o posicionamento dos jovens espanhóis na pesquisa. A maioria lê pelas redes sociais/blogs, não paga por conteúdo, não acredita muito nos meios tradicionais e ainda bloqueia a publicidade que poderia bancar o veículo. Como sustentar um jornal digital voltado a esse público?