#3 – A tragédia depois da tragédia do Museu Nacional

FOTO: Tânia Rêgo/Agência Brasil

FOGO

Desnecessário falar sobre o incêndio ao Museu Nacional no Rio de Janeiro. O assunto está nos jornais do mundo inteiro. A coluna de hoje falará mais sobre a tragédia que veio depois da tragédia: a desinformação e o festival de discursos políticos bestas para se aproveitar do caso.

A EMENDA 95 E A DILMA

Muita hipocrisia as lideranças do PT culparem exclusivamente o governo Temer pelo incêndio. O primeiro grande corte do repasse de verbas ao museu foi no governo Dilma, em 2015. É fato que a Emenda 95 vai trazer muitos problemas nos próximos anos, mas se é para colocar na conta de alguém, vamos colocar nos dois: Dilma/Temer. Nem esperaram o fogo ser apagado para tirar proveito político, vão… Ah sim, tem matéria circulando de 2004 com a direção da UFRJ reclamando de falta de apoio ao museu, isto é, governo Lula.

ATAQUES AO PSOL

O fato do reitor e do vice-reitor da UFRJ serem do PSOL foi motivo para a direita burra partir para cima do partido, culpando-o pelo incêndio. Oi? A reitoria reclama de falta de recursos para o local desde sempre, estava com uma responsabilidade imensa nas mãos sem dinheiro para isso e a culpa é do partido do reitor? Ah, vá!!!

OS MUSEÓLOGOS

Eis que o Brasil passou a ter 200 milhões de museólogos, ou no mínimo, apaixonados por museus. Gente que nunca colocou os pés em um museu na vida está nas redes sociais berrando contra o governo, contra político X ou Y, pelo incêndio. Ficou interessado em cultura, em história? Comece prestigiando os museus de sua cidade, então.

ROUANET

Deveria ter uma lei que proibisse o brasileiro de falar sobre a Lei Rouanet sem conhece-la primeiro. E que fique claro, sou um crítico antigo a este formato de apoio a cultura. Leis de mecenato como a Rouanet fazem com que o departamento de marketing das empresas decida para onde vai o dinheiro público. Por isso, artistas famosos conseguem captar os recursos aprovados e museus como o do Rio de Janeiro não. Duvida? Leia isto!

ROUANET (2)

Mas não é pelas razões apresentadas na nota anterior que o brasileiro berra nas redes sociais contra a Rouanet. É contra por causa de alguns trabalhos que recebem recursos pela lei. Primeiro: boa parte dos projetos aprovados na Rouanet criticados na web não conseguem captar grana também (leia aqui). Segundo: o problema na real não é o uso de dinheiro público: o hipócrita metido a moralista é simplesmente contra que algumas peças, alguns livros sejam publicados porque não gosta do conteúdo. Censura mesmo, sabe…

HIPÓCRITAS

É irritante ler pessoas que até ontem estavam reclamando de dinheiro para museus e espaços de arte, educação, história, hoje bancarem os defensores da cultura (de parte dela, no caso). Esse assunto vai se manter em alta até o segundo turno das eleições e depois será esquecido, assim como foi esquecido a tragédia de Mariana (MG), assim como já esqueceram a morte de Marielle Franco. É só onda….