Carregando...
Jornalismo, estudos da mídia e um pouco de política | TODOS OS ARTIGOS
1 de novembro de 2023

O fim do Foro de Teresina e a censura

Na segunda-feira (30), escrevi um artigo sobre o fim do podcast Foro de Teresina com um debate sobre independência no jornalismo. Uma jornalista demitida, um outro jornalista que pede demissão e tem seu aviso de demissão censurado no programa. Minha intenção com o artigo foi explicar porque esse caso é mais grave sendo na Revista Piaí.

Nesta quarta-feira (1º), o diretor de redação da Piauí, André Petry, escreveu uma nota explicando a saída de Thais e a decisão de cortar o trecho da fala de José Roberto de Toledo. Vamos lá:

As razões segundo Petry

Na nota, Petry elencou duas razões para a saída da jornalista. O fato de ela ter continuado em São Paulo ao invés de voltar para Brasília, conforme planejamento da revista; razões internas as quais a revista não irá se pronunciar.

Primeiramente, reconhecemos o direito da empresa de demitir algum funcionário. E sim, por mais popular que Thais estivesse, principalmente por causa do podcast Alexandre, a revista não é obrigada a se manifestar sobre os motivos internos que levaram a demissão.

Portanto, não entrarei neste debate. Ninguém é insubstituível, é verdade. E qualquer ouvinte pode escolher não ouvir mais o podcast depois do caso. Prefiro focar na parte mais grave na história: a demissão.

André Petry assumiu ser o responsável por cortar o trecho da fala de José Roberto de Toledo. Segundo ele, uma orientação para cortar o trecho. Além disso, Petry afirmou que Toledo usou a plataforma da revista para atingir a própria revista. O jornalista fez isso sem avisar à direção, de acordo com Petry. E por último, Petry entendeu que a fala de Toledo “ofuscaria” a saída de Thais Bilenky.

Foi censura ou não?

Abaixo, o áudio original da fala de Toledo, cortado na edição do podcast:

Trata-se de um tema subjetivo, é verdade. Mas para mim, o jornalista não utilizou o Foro de Teresina para atacar a Revista Piaúi. Não há nada na fala de Toledo neste sentido, nenhuma crítica à direção, apenas um lamentar da decisão seguido de uma demissão em solidariedade à colega de trabalho.

Disse no começo e vou repetir: a direção da Revista Piauí tem o direito de demitir quem quiser e o leitor/ouvinte tem o direito de continuar consumindo ou não. Isso tudo faz parte do jogo. Porém, a direção da revista pisou feio na bola ao cortar a fala de Toledo.

Primeiramente, não foi um áudio grave que justificasse o corte. É censura! Repito: não há nenhum ataque à direção da revista. Segundo, que esse papo de orientação não cola. É óbvio que a “orientação” seria acatada pela produção do podcast. E por último que o estrago da censura foi MUITO, mas MUITO MAIOR do que se tivesse o áudio de Toledo solidarizando com a colega.

O triste fim do Foro de Teresina

A nota da Revista Piauí demorou para sair e não ajudou em nada no caso. As pessoas que manifestaram interesse em cancelar a assinatura por causa do acontecimento não vão mudar de ideia. As críticas vão continuar e o caso continuará a ser uma censura, independente do que o diretor pensa.

Do mesmo modo, recuso o discurso de “vejização da Piauí” que já corre nas redes. André Petry foi diretor da Revista Veja sim, entre 2016 e 2019. Mas não foi neste período que a Veja viveu seu momento das trevas no jornalismo, pelo contrário, Petry ajudou a recuperar a revista. Ele também está na Piauí desde 2019, ou seja, comandou a publicação em grandes momentos.

Por fim, o caso serve apenas para lamentar. Lamentar o fim de um dos melhores podcasts do Brasil, agora oficial, e lamentar a mancha na publicação que pratica um dos melhores jornalismos do país. A revista dona do próprio nariz também erra, também joga bons projetos fora e também censura.

3 comentários
  1. O programa parece ter engolido, por sua qualidade e competência dos apresentadores, a própria Piauí. Pode continuar freelance e vai continuar fazendo sucesso sem interferência de poderosos inúteis.

  2. Tomara que continuem, me sinto órfã.

  3. Gostaria muito que os três continuassem o projeto com outro nome. Também me sinto órfã. Muito difícil encontrar um podcast com tanta qualidade e liberdade de expressão. Ainda acho que tem algo de podre no Reino da Dinamarca, ou melhor no Reino da Piauí. Mas o mundo jornalístico tem muitas nuances, algumas sombras, que nós meros ouvintes e leitores não vamos conseguir alcançar o que por trás da demissão da Thais Bilenky. Entendo que a Piauí tem seus assuntos internos, mas não engoli a demissão dela.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

pt_BR