Carregando...
Jornalismo, estudos da mídia e um pouco de política | TODOS OS ARTIGOS
28 de setembro de 2021

Deserto de Notícias em Portugal atinge 61 municípios

O deserto de notícias aumentou em Portugal de agosto de 2020 para agosto de 2021. Trata-se de uma atualização do mapa criado em 2020, que foi objeto de um artigo publicado na revista Estudos de Jornalismo.

Portugal possui agora, 61 concelhos sem nenhum rádio ou jornal regional registrado na Entidade Reguladora da Comunicação, contra 57 em 2020. A maioria dos concelhos no deserto está longe do litoral, em pequenos municípios com baixa população e atividade econômica.

Metodologia do deserto de notícias

O mapa foi montado a partir de duas listagens da Entidade Reguladora da Comunicação; a primeira com as publicações periódicas (impressos e digitais) e a segunda com os operadores de rádio. Por fim, compara-se a lista dos municípios que constam nas listas com o total de 308 municípios portugueses.

A legislação portuguesa não permite a concessão de operadoras de televisão em âmbito regional. Neste levantamento é importante ressaltar:

  • Não foi averiguado se todos os meios de comunciação registrados estão, de fato, ativos. Para isto, seria preciso analisar com mais tempo, utilizando-se métodos claros sobre o que seria estar ativo de fato.
  • Alguns meios locais posicionam-se como regionais e poderiam atender municípios que não possuem meio de comunicação própria. Porém, o conceito de cobertura também é variável.
  • Há casos de meios de comuniciação que atuam em um município, mas possuem a sede cadastrada em outro.

Foram feitas algumas correções a respeito dos três itens acima no processo de criação do mapa, porém, não se analisou em detalhes os 308 municípios portugueses.

Variações relevantes

  • Há mais municípios no interior que estão no deserto. Abaixo, uma foto do mapa publicado em 2020.
  • Em destaque, o Alentejo (leste) e a região de Trás-os-Montes (nordeste).
  • Apenas dois municípios litorâneos no mapa: Castro Marim e Vila do Bispo, ambos no Algarve. Na fronteira com a Espanha, são nove.
  • Distritos de Braga e Setúbal aparecem no deserto com um município cada.
  • Há concelhos que estavam no mapa de 2020 e não estão mais em 2021. Destaque para Santa Cruz das Flores, nos Açores, que passou a ter um jornal digital no começo deste ano, o Florentinos.

Trancoso, no distrito da Guarda, continua no deserto. Mas há um projeto de uma acadêmica de jornalismo que deve resolver a situação: O Bandarra, acompanhado pelo projeto Re/media.Lab.

Deve-se destacar também que a atualização ocorre um ano depois em meio a pandemia do coronavírus, com a segunda e terceira onda ocorrendo neste tempo. Será importante outra atualização, daqui a um ano, para saber como será a reação da economia portuguesa após a vacinação da população e como isto afetará os meios regionais.

Municípios no Deserto de Notícias

  • Alandroal (Évora – Alentejo)
  • Alfândega da Fé (Bragança – Norte)
  • Alijó (Vila Real – Norte)
  • Almodôvar (Beja – Alentejo)
  • Alvito (Beja – Alentejo)
  • Arraiolos (Évora – Alentejo)
  • Avis (Portalegre – Alentejo)
  • Barrancos (Beja – Alentejo)
  • Bombarral (Leiria – Centro)
  • Calheta (Açores)
  • Campo Maior (Portalegre – Alentejo)
  • Carregal do Sal (Viseu – Centro)
  • Castanheira de Pera (Leiria – Centro)
  • Castro Marim (Faro – Algarve)
  • Chamusca (Santarém – Alentejo)
  • Condeixa-a-Nova (Coimbra – Centro)
  • Constância (Santarém – Centro)
  • Corvo (Açores)
  • Cuba (Beja – Alentejo)
  • Figueiró dos Vinhos (Leiria – Centro)
  • Freixo de Espada à Cinta (Bragança – Norte)
  • Fronteira (Portalegre – Alentejo)
  • Gavião (Portalegre – Alentejo)
  • Lajes das Flores (Açores)
  • Marvão (Portalegre – Alentejo)
  • Mesão Frio (Vila Real – Norte)
  • Mogadouro (Bragança – Norte)
  • Moita (Setúbal – AM Lisboa)
  • Mondim de Basto (Vila Real – Norte)
  • Monforte (Portalegre – Alentejo)
  • Mora (Évora – Alentejo)
  • Mortágua (Viseu – Centro)
  • Murça (Vila Real – Norte)
  • Nisa (Portalegre – Alentejo)
  • Nordeste (Açores)
  • Oliveira de Frades (Viseu – Centro)
  • Ourique (Beja – Alentejo)
  • Pedrógão Grande (Leiria – Centro)
  • Penedono (Viseu – Norte)
  • Penela (Coimbra – Centro)
  • Ponta do Sol (Madeira)
  • Portel (Évora – Alentejo)
  • Povoação (Açores)
  • Redondo (Évora – Alentejo)
  • Ribeira Brava (Madeira)
  • Ribeira de Pena (Vila Real – Norte)
  • Sabrosa (Vila Real – Norte)
  • Santa Cruz (Madeira)
  • Santa Marta de Penaguião (Vila Real – Norte)
  • Santana (Madeira)
  • Sernancelhe (Viseu – Norte)
  • Sobral de Monte Agraço (Lisboa – Centro)
  • Sousel (Portalegre – Alentejo)
  • Tabuaço (Viseu – Norte)
  • Terras de Bouro (Braga – Norte)
  • Trancoso (Guarda – Centro)
  • Viana do Alentejo (Évora – Alentejo)
  • Vila do Bispo (Faro – Algarve)
  • Vila Flor (Bragança – Norte)
  • Vila Velha de Ródão (Castelo Branco – Centro)
  • Vimioso (Bragança – Norte)
4 comentários
  1. […] é, sem jornal regional, impresso ou digital, e sem rádio local com noticiário da região. Uma atualização dos dados, de setembro de 2021, elevou para 61 concelhos, quase 20% dos 308 concelhos portugueses — lembra Giovanni Ramos, […]

  2. […] acordo com o estudo “Deserto de Notícias” do investigador Giovanni Ramos, da Labcom/UBI — Universidade da Beira Interior, Portugal tem […]

  3. […] de autoridades da mídia no país. Então, o projeto Re/media.Lab (também do Labcom) apresentou o estudo em 2021 no Encontro Nacional de Jornalistas de Meios Regionais, organizado pelo projeto. A Associação […]

  4. […] de falar da origem deste estudo, iniciado neste blog em 2020 e 2021, a entrevistadora Aline Grupillo abordou saídas para esta crise. Foi então que o tema jornalismo […]

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

pt_BR